Região:

min

max

Anuncie aqui

Gordura faz mal? Nutricionista orienta sobre o consumo

De acordo com a nutricionista Marla Bittar, as São José do Rio Preto (SP), as gorduras são divididas em vários tipos e nem sempre elas fazem mal à saúde

Por Fabrício Santana
(Atualizado em 28/07/2022 - 10h08)
Compartilhar

As gorduras estão presentes em diversos alimentos normalmente consumidos, por isso há quem acredite ser necessário cortá-las do cardápio. Mas será que isso é o ideal?

De acordo com a nutricionista Marla Bittar, as São José do Rio Preto (SP), as gorduras são divididas em vários tipos e podem ser vilãs ou mocinhas na dieta, pois nem toda gordura faz mal para a saúde e o consumo de algumas delas é considerado importante.

Marla explica que as gorduras saturadas vêm principalmente dos produtos de origem animal, como carnes, leite e derivados. Também são encontradas em alguns produtos de origem vegetal, como o óleo de coco.

Já as gorduras insaturadas vêm de alimentos de origem vegetal, como azeite, abacate e castanhas.

As gorduras poliinsaturadas também são encontradas nas castanhas; óleos vegetais, como soja e canola; peixes, como sardinha e atum, que fornecem ácidos graxos essenciais.

As gorduras monoinsaturadas são encontradas no azeite, bacalhau, azeitonas, castanhas e amendoim.

As gorduras trans compõem principalmente em produtos industrializados, como bolachas recheadas, biscoitos, tortas, sorvetes e bolos.

 

Função da gordura no organismo

A gordura no organismo tem a função de absorção de vitaminas (A, D, E e K), proteção de órgãos vitais, proteção contra o frio, reserva de energia, produção de hormônios, controle dos níveis de colesterol no sangue, redução do risco cardiovascular (gorduras mono e poliinsaturadas).

De acordo com a nutricionista, se cortar toda a gordura da dieta, não vai ocorrer a absorção de vitaminas importantes, que são: A, D, E e K, além de prejudicar a produção de hormônios, redução de energia que se acumula em forma de gordura e desequilíbrio entre a ingestão dos outros nutrientes.

As gorduras, assim como os outros nutrientes, devem fazer parte do dia a dia. Uma dica é optar pelas opções que beneficiam o organismo, como o consumo de azeite, abacate, castanhas, amendoim, óleos vegetais.

A profissional explica que as gorduras saturadas podem ser consumidas, mas, se associadas a um estilo de vida que não é saudável, pode ocorrer o aumento no nível de colesterol e risco cardíaco.

 

Como saber qual a quantidade de gordura que devo ingerir?

A nutricionista conta que o guia alimentar para a população brasileira recomenda que as gorduras devem ser utilizadas em pequenas quantidades para o preparo dos alimentos.

“Nos alimentos que já contêm, como as carnes, o ideal é escolher cortes mais magros, pois as gorduras fornecem bastante calorias. As gorduras saturadas podem causar doenças cardíacas, e o excesso de gorduras no geral pode causar obesidade, caso consumidas em excesso”, diz Marla.

A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que o consumo diário de gorduras na dieta seja menor que 30%, sendo que menos de 10% sejam de gorduras saturadas. Caso a pessoa já tenha um risco cardíaco, deve ficar abaixo de 7%. Para as gorduras trans o recomendado é 1%, ou zero para quem tem risco cardíaco.

A OMS também recomenda que de 10 a 20% seja o consumo de gorduras monoinsaturadas, e 12% as poliinsaturadas.