Região:

min

max

Anuncie aqui

Primavera: entenda como cultivar plantas dentro e fora de casa

Com a chegada da primavera, especialista explica quais espécies de plantas são melhores para ambientes internos e quais são para ambientes externos

Por Fabrício Santana
(Atualizado em 22/09/2022 - 6h47)
Compartilhar

Nesta quinta-feira, 22 de setembro, começa a primavera no Hemisfério Sul. Conhecida pelo desabrochar das flores, a estação traz um colorido especial para os ambientes interno e externo.

Por isso, o temmais.com conversou com Deolanda Garcia Rodrigues, proprietária de um orquidário em São José do Rio Preto (SP), que orientou sobre as plantas que são as mais adequadas para diferentes ambientes.

 

Ambientes internos

Qualquer ambiente fica mais aconchegante com uma planta. Muitas espécies se desenvolvem bem na sala, cozinha e até banheiro, com pouca manutenção e não ocupando muito espaço.

Orquídea

Cultivar orquídeas é extremamente prazeroso e fácil. A orquídea é uma flor que agrada a maioria das pessoas. Ela deixa o ambiente mais bonito, alegre, é uma flor que ajuda na decoração, renova o ambiente, dá energia boa.

“Basta pegar a muda já plantada, cuidar, dar um pouco de luz, irrigar duas ou três vezes por semana, e se tiver condições adubar uma vez por mês fica melhor ainda,” explica.

Samambaia

Samambaia (Foto: Freepik)

 

A samambaia também pode ser cultivada tanto dentro quanto fora de casa. Elas gostam bastante de luz, e algumas variedades gostam de sol direto. Vale lembrar de deixar sempre próximo a janelas ou em ambientes com boa iluminação indireta. É importante manter o solo sempre úmido, com rega frequente, mas atentar para substratos bem drenados.

Violetas

Violeta africana (Foto: Pixabay/Kourilek)

 

Também conhecida como violeta africana, a planta é ótima para ambientes internos. A rega deve ser cuidadosa, apenas quando o substrato estiver seco, e deve-se evitar molhar folhas e flores.  Também devem ficar próximo a janelas para iluminação indireta, onde se desenvolve bem, mas é importante evitar o sol direto.

Cactos e suculentas

Cactos (Foto: Pixabay/zwodra)

 

Existem diversas espécies de suculentas e cactáceas e são muito utilizadas para decoração de ambientes internos. Muito utilizadas na composição de pequenos terrários, essas plantas exigem pouca manutenção e pouca rega, que não devem ser mais do que uma vez por semana – a maioria não tolera água em excesso pois pode apodrecer suas raízes. Os cactos crescem melhor em ambientes de maior iluminação, já as suculentas preferem luz indireta, mas para ambas, a luz solar direta deve ser evitada.

 

Ambientes externos

Rosas

Rosas (Foto: Pixabay/schneeknirschen)

 

As rosas são flores mais tradicionais e muito utilizadas tanto para decoração quanto jardim. Muito popular e atraente, elas deixam qualquer casa mais encantadora e cheirosa. Você pode criar um canteiro em casa, sob o sol direto, apenas para elas. Basta manter o solo fértil, com húmus e argila.

Até a primeira floração, águe a roseira todos os dias. Então, diminua a frequência, para duas vezes na semana, sobretudo nos dias em que o sol está mais forte.

Rosas do deserto

Rosa do Deserto (Foto: Pixabay/NYJ2021FIN)

 

Elas se parecem com uma árvore em miniatura, com raízes aparentes, como se fosse uma árvore frondosa de verdade. É importante deixá-la em um local onde bate bastante sol.

Bromélias

Bromélia (Foto: Pixabay/Chesna)

 

As bromélias são muito adaptáveis e suas flores são exóticas. Estão cada vez mais populares, contudo, é preciso atenção a mudanças bruscas de ambiente, para evitar que seja afetada e a floração não ocorra.

Precisa de boa iluminação natural com uma rotina de rega frequente. Além disso, durante o verão, faça a adubação toda semana.

Hibisco

Hibisco (Foto: Pixabay/lovkis1973)

 

O hibisco produz flores em árvores grandes, ideais para espaços maiores. Quando bem cultivado, pode atingir cinco metros de altura. No quintal, a planta traz rusticidade e beleza.

Para isso, é fundamental manter o solo bem drenado e rico em materiais orgânicos. Portanto, faça adubações com frequência, pelo menos, uma vez ao mês. Já as regas devem ser regulares, de modo a manter o solo molhado, sem encharcar.

Veja mais notícias em temmais.com