Região:

min

max

Anuncie aqui

Câncer de cabeça e pescoço: médico alerta para a importância do diagnóstico precoce

Cerca de 76% dos casos são diagnosticados em estágios avançados, dificultando o tratamento e aumentando os riscos de óbito

Por Redação
(Atualizado em 28/07/2022 - 10h04)
Compartilhar

Os cânceres de cabeça e pescoço são mais comuns do que se imagina. Uma pesquisa feita recentemente apontou que aproximadamente 20 mil pessoas morrem por ano no Brasil.

Com altas chances de cura na fase inicial, cerca de 76% dos casos são diagnosticados em estágios avançados, dificultando o tratamento e aumentando os riscos de óbito. Por isso, 27 de julho foi escolhido como o Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço.

Segundo o otorrinolaringologista Luiz Sérgio Raposo, de São José do Rio Preto (SP), fumo e álcool são agentes causadores dos tumores. “Ao menos 97% dos pacientes são fumantes e bebem frequentemente, exceto os com tumor na tireoide.”

O maior número de casos de câncer são os de tireoide, na cavidade oral, língua, boca e laringe. “O tumor na tireoide tem em sua origem fatores genéticos, ou ocorre em consequência de frequente exposição à radiação. Já os cânceres na laringe, boca, língua, amígdalas e esôfago resultam, frequentemente, do fumo ou consumo excessivo de álcool”.

O Dia Mundial é ocasião para lembrar à população que, assim como inúmeras doenças, o diagnóstico precoce é fundamental para aumentar o sucesso do tratamento.

Conforme Luiz Sérgio, o diagnóstico se inicia no consultório e conta com os exames por imagem. “Todo tumor que for identificado de forma precoce há maior chance de cura e costuma ser menos agressivo”, ressalta Raposo.

O principal tratamento, quando possível, é a cirurgia. No entanto, em casos graves, as alternativas são a radioterapia e a quimioterapia. Por isso, é importante estar atento aos sintomas e procurar um médico com frequência.