Região:

min

max

Anuncie aqui

Do futebol de rua à Copa do Mundo: conheça a história da árbitra Daiane Muniz, de Santa Fé do Sul

Árbitra da Série A do Brasileiro irá representar a cidade de Santa Fé do Sul, da região de Rio Preto na competição internacional feminina Sub-20

Por Vinicius Lara
(Atualizado em 10/06/2022 - 14h56)
Compartilhar

A cidade de Santa Fé do Sul, da região de Rio Preto, terá uma representante na Copa do Mundo feminina Sub-20. A árbitra Daiane Caroline Muniz dos Santos comandará o VAR (árbitro de vídeo) na competição internacional, que será disputada na Costa Rica entre os dias 10 e 28 de agosto.

Em entrevista ao temmais.com, Daiane não escondeu a emoção de estar participando de uma Copa do Mundo. A árbitra comparou a conquista com uma convocação de um jogador para a seleção brasileira e disse que estar no evento internacional é a coroação dos anos do seu trabalho.

“Já fiz competições internacionais, mas a Copa do Mundo é a cereja do bolo. Para o árbitro é o mesmo que jogador ser convocado para a seleção brasileira. Estar representando a minha cidade, representando Santa Fé do Sul, a minha região, onde tenho as minhas raízes, onde cresci, onde fui educada e representando o Brasil tem uma responsabilidade muito grande. É um privilégio estar nessa função”, disse Daiane.

Daiane tem 34 anos e foi promovida ao quadro da CBF em 2014 e da FIFA em 2016. Em 2021, ela comandou a final do Brasileirão feminino entre Corinthians e Palmeiras, na Neo Química Arena, em São Paulo. A árbitra começou a apitar aos 21 anos de idade. O amor pelo futebol, porém, começou na infância quando jogava bola na rua todos os dias.

“O desejo de virar árbitra veio de um amor que eu não consigo dimensionar pelo futebol. Desde criança, a minha mãe falava que eu dava muito trabalho querendo jogar bola o dia inteiro na rua. Era só isso que eu fazia, era só isso que brincava. Um certo momento da minha vida, depois de terminar os estudos, vi que eu poderia transformar minha paixão no meu trabalho, na minha profissão. Casou muito bem, né? Deu muito certo”, afirma Daiane.

Daiane Muniz irá representar o Brasil na Copa do Mundo (Foto: Redes Sociais)
Daiane Muniz irá representar o Brasil na Copa do Mundo (Foto: Divulgação/Unifunec)

A torcida e o VAR: caso de amor e ódio

Se tem uma tecnologia que tem causado polêmica no futebol é o do árbitro de vídeo. Com a ideia de proporcionar mais justiça dentro de campo, o VAR tem causado discussões na demora na tomada de decisões, além de causar situações questionáveis durante os jogos. Mas tem vários pontos positivos que, inegavelmente, melhoraram o jogo.

Em 2022, Daiane fez 12 jogos no comando do VAR na Série A do Brasileirão, sendo o último na vitória do Fluminense por 5 a 2 contra o Atlético-MG, pela 10ª rodada. Com tantas polêmicas, a árbitra comentou sobre o cenário atual da tecnologia no futebol brasileiro.

“Na verdade, o VAR é algo novo. Está sendo adaptado ainda no mundo inteiro. Cada país, cada continente age de uma maneira diferente em relação ao VAR. A gente costuma comparar os lugares, comparar um pouco do trabalho que está sendo feito. Por isso, acredito que, às vezes, tem essa dúvidas das torcidas. Mas estamos evoluindo, juntamente com as orientações da FIFA, porque, na verdade, o objetivo do VAR é acabar com injustiças dentro do campo de jogo e não para acabar com erros. O árbitro vai continuar errando e isso é fato. Somos seres humanos e tem coisas que são analisadas de acordo com o que ele viu naquele momento. O que o árbitro entende que é a força alta, força média, força baixa e isso é interpretativo. Tudo que é interpretativo abre um campo para discussão, e isso que é legal no futebol”, disse Daiane.

Daiane Muniz recebe a insígnia da FIFA (Lucas Figueiredo/CBF)
Daiane Muniz recebe a insígnia da FIFA  (Lucas Figueiredo/CBF)

Preparação para a Copa do Mundo

Como todo grande atleta que vai para uma grande competição, Daiane também está se preparando para dar o seu melhor na Copa do Mundo. Além dos jogos do Brasileirão, a árbitra divide a rotina com estudo de idiomas e revisão de jogos todos os dias.

“Eu me preparo estudando muito. Assisto jogos todos os dias, mais de um jogo por dia. É um tipo de estudo. Faço anotações de jogos anteriores. O que eu fiz que foi legal, o que eu fiz que dá para melhorar na próxima vez. Estou estudando também outros idiomas. Tem o campeonato que acontece no idioma do inglês e espanhol. Preciso estar ciente de que a comunicação é extremamente importante para entender todo o contexto da competição, tudo que nos é passado, tudo que nos é orientado”, disse.

*Vinicius Lara é estagiário. Colaborou sob supervisão de Arcílio Neto

Daiane Muniz irá representar o Brasil na Copa do Mundo (Foto: ArapuaMS)
Daiane Muniz irá representar o Brasil na Copa do Mundo (Foto: ArapuaMS)